Quem conta nossa história de hoje é a Giselle Ribeiro,que conheci há quase 2 anos. Ela se mudou do Rio para Niterói com sua família para o mesmo prédio em que moro e desde o início, nossa empatia foi grande e desde então somos vizinhas e amigas.

Sua família é especial. Duas filhas lindas, um marido super parceiro e seus pais, um casal que mesmo tendo passado por uma experiência de doença grave, são muito unidos e muito simpáticos com qualquer pessoa do prédio.

1.jpeg

A História dela foi muito legal, pois a maioria das pessoas quando pensam em empreender, tendem para negócios ditos convencionais, e são poucos os que começam a empreender virtualmente, usando a Internet.

Giselle não só empreendeu pela internet como conseguiu trabalhar em sistema de Home Office o que facilitou muito seus deveres e cuidados com suas filhas e pais que tanto precisavam dela.

2.jpeg

Segue sua história assim como ela me contou:

“Por 20 anos eu trabalhei como secretaria executiva em uma multinacional, quando em 2009 tive um AVC. Apesar de ter sido um AVC hemorrágico que normalmente é fatal, graças a Deus eu sobrevivi, sem nenhuma sequela.

Depois deste evento, meu marido achou melhor que eu ficasse em casa por um tempo, sem trabalhar para descansar, então, fiquei 1 ano sem trabalhar. Para me distrair um pouco, procurei um hobby e gostei muito de trabalhar com artesanato em madeira. Deu até para ganhar um dinheirinho na época com isso.

Depois disso fui trabalhar no escritório de uma cantora. Não como secretaria, mas como uma “faz tudo”. No período que eu estava lá, uma empresa foi contratada para cuidar das redes sociais dela. Achei muito interessante aquele trabalho e como uma das minhas funções era supervisioná-los, acabei aprendendo muito do que era o serviço deles.

3.jpeg

Depois de 3 anos trabalhando ali, meus pais ficaram muito doentes e ambos tiveram que ficar internados por 3 meses. Meu pai inclusive chegou a ser desenganado pelos médicos. Como eu tinha que dar assistência e ir ao hospital todos os dias, tive que pedir demissão do trabalho.

Meus pais melhoraram, tiveram alta e foram morar comigo. Com isso me mudei para Niterói, em busca de um lugar mais tranquilo para nós, e um apartamento que comportasse as duas famílias juntas.

Como boa parte do meu tempo eu tinha que dar assistência para eles, não podendo mais trabalhar em horário integral, e de alguma forma eu tinha que aumentar a renda familiar, resolvi pensar em algo para fazer em Home Office.

Foi quando lembrei do que aquela empresa fazia com as redes sociais da artista.

AAEAAQAAAAAAAAjnAAAAJGM0M2ZiNWZkLWE1ZmMtNGM5Ni1hNGFiLWI2NmM3YTA5MzZmOA.jpg

Procurei cursos, estudei e abri uma empresa de gerenciamento de redes sociais. Algo moderno, que está “na boca do povo”, em amplo crescimento e que eu posso trabalhar em home office.

As situações adversas, foram bem complicadas e difíceis, mas me ajudaram a seguir um caminho diferente que hoje é minha profissão.

A crise atinge a todos, sem exceção! Cabe a nós seguir em frente, pedir ajuda a Deus e buscar soluções.”